Hoje vou mostrar um estudo de caso de uma ilustração pessoal que fiz recentemente. Como queria testar algumas técnicas novas, percebi que deveria fazer isso incluindo meus desenhos em meus trabalhos, fazer como artistas como Sara Blake, Ian Macarthur, Gabz e outros.

Misturar meios digitais e manuais pode ser algo legal, pois assim você consegue ter um traço original no desenho original e pode ainda apagar erros no computador para deixar tudo mais perfeito e melhorar os detalhes. Também lembrei de uma dica de James White, sobre fazer um poster de um artista que você goste. Decidi fazer uma série sobre isso e o que vou mostrar para vocês é o segundo poster, um tributo a Mux Mool (música eletrônica). Fiz tudo sem fins comerciais, claro. Então neste estudo de caso vou mostrar meu processo criativo, do primeiro rascunho ao resultado final.


Rascunhando

Ok, tenho que admitir, meus rascunhos são horríveis, uso eles para ter um preview do que quero fazer... e na real é para isso que serve um rascunho, certo? Não se preocupem, coloquei algumas legendas para que vocês possam entender melhor a ideia, hehe. Meu conceito inicial era fazer uma piada com o nome da música, "No black crayon", usando um personagem com vários crayons nas mãos, mas aí pensei que seria mais legal se fizesse um personagem mais marcante, então pensei em algo como uma árvore seca com uma olho. Também pensei em usar uma tipografia inspirada em Black Metal no nome.


Outlines

Sei que isso pode parecer obvio, mas mesmo quando estou fazendo um desenho no Photoshop, sempre faço primeiro a parte dos contornos e formas para depois preencher e colorir. Falo isso pois algumas pessoas tendem a pensar que você deve fazer os três passos de uma vez. O que pode acontecer é você se perder na proporção das coisas, então é melhor fazer primeiro o contorno.


Shading - iris

Não é tão difícil fazer a iris, você precisa apenas saber como preencher com dash em uma direção circular, e também fazer alguns reflexos.


Shading - body

Alcançar esse tipo de textura de madeira tem muito a ver com prática e observação. Mais tarde vou destacar as rugas no PS para dar mais profundidade.


Adding color

Sempre achei melhor colorir no Photoshop, mas esse é meu jeito de fazer as coisas, então como cada um tem suas preferências, faça como achar melhor. Gosto de fazer assim pois você comete alguns erros e testa várias coisas. Depois de terminar o desenho, passei para o computador usando 1200 dpi, que é uma boa resolução para pegar detalhes da peça. De volta ao processo de colorir, fiz uma layer acima da layer do desenho e usei soft brushes para fazer os gradientes e blends e usei Multiply.


Outline

Novamente fiz primeiro o contorno da tipografia. Queria dar um visual forte nas letras, então me inspirei em alguns Black Metal Band logos.


Dot Sading

Dot shading não é uma técnica nova, mas é muito boa e tenho que admitir que estou viciado nela. Basicamente você faz as sombras e cria profundidade com a distância dos pontos. Sim, leva um tempo, mas o video explica melhor esse passo.

Dot Shading from Marcos Torres on Vimeo.


Adding color


Outline


Dot Shading


Adding color and gradients


Resultado Final

Bom, fizemos alguns experimentos até alcançar o resultado final, mas o foco nesse estudo de caso foi o processo de desenhar. Então caso não tenha um bom desenho, o Photoshop pode te salvar. Algumas pessoas podem dizer que deveria ter usado um background branco ao invés de preto, mas a ideia era fazer com que fosse impossível ter um crayon preto ali... espero que tenham gostado e que tenham aprendido algumas dicas rápidas. ;)


About the author of this post

I'm Marcos Torres, I'm a Graphic Artist from Brasil. You can know more about me at my Website, at my Tumblr or at my Flickr.